São Gonçalo. RJ Cel: (21) 998203382 E-mail: sinagogabeitmiklat@gmail.com

פרשה... Parasháh

Parasháh...   פרשה

O que é a Parasháh...



Parashá, Parshah ou Parashah (no hebraico  פרשה porção, e no plural Parashót ou Parashiót) é o nome dado à porção semanal de textos da Toráh dentro do Judaísmo. 
Também são conhecidas como Parashát hashavúa - porção da semana ou Sidrá - seção e cada uma possui um nome geralmente derivada de suas primeiras palavras no Hebraico ou de palavras mais importantes no primeiro verso. 
Geralmente o Judaísmo ao mencionar um texto da Toráh menciona este nome particular, e não capítulos ou versículos como fazem outras religiões.

A Torá é dividida em 54 parashiót que servem para uma leitura completa da Toráh em um ciclo de um ano, iniciando e terminando dentro do Judaísmo na Festa de Simchát Toráh.

LivroParashahPorção
Bereshit
Genesis
Bere’shit,            בראשיתGen. 1:1-6:8
Nôach,                      נח6:9-11:32
Lech Lechá,          לך לך12:1-17:27
Vayeirá,                  וירא18:1-22:24
Chayei Sarah,   חיי שרה23:1-25:18
Toledót,               תולדות25:19-28:9
Vayetse,                 ויצא28:10-32:3
Vayishlach,            וישלח32:4-36:43
Vayeshev,              וישב37:1-40:23
Mikets,                    מקץ41:1-44:17
Vayigash,               ויגש44:18-47:27
Vayechi,                  ויחי47:28-50:26
Shemot
Exodo
Shemot,               שמותEx. 1:1-6:1
Va’eira,                 וארא6:2-9:35
Bo,                          בא10:1-13:16
Beshalach,          בשלח13:17-17:16
Yitro,                      יתרו18:1-20:23
Mishpatim,         משפטים21:1-24:18
Terumah,            תרומה25:1-27:19
Tetsaveh,              תצווה27:20-30:10
Ki Tisa’,               כי תשא30:11-34:35
Vayachel,              ויקהל35:1-38:20
Pekudey,               פקודי38:21-40:38
Vayikrá
Levitico
Vayikra’,                ויקראLev. 1:1-5:26
Tsav,                        צו6:1-8:36
Shemini,               שמיני9:1-11:47
Tazria,                  תזריע12:1-13:59
Metsora,              מצורע14:1-15:33
Acharei,           אחרי מות16:1-18:30
Kedoshim,          קדושים19:1-20:27
Emor,                     אמור21:1-24:23
Behar,                     בהר25:1-26:2
Bechukotai,        בחוקותי26:3-27:34
Bamidbar
Numeros
Bamidbar,           במדברNum. 1:1-4:20
Naso,                     נשא4:21-7:89
Behaalotecha,   בהעלותך8:1-12:16
Shlach,                 שלח לך13:1-15:41
Korach,                     קרח16:1-18:32
Chukat,                     חקת19:1-22:1
Balak,                        בלק22:2-25:9
Pinchas,                  פנחס25:10-30:1
Matot,                     מטות30:2-32:42
Massei,                    מסעי33:1-36:13
Devarim
Deuteronomio
Devarim,              דבריםDeut. 1:1-3:22
Va’etchanan,       ואתחנן3:23-7:11
‘Ekev,                     עקב7:12-11:25
Re’eh,                    ראה11:26-16:17
Shoftim,              שופטים16:18-21:9
Ki Tetse’,            כי תצא21:10-25:19
Ki Tavo’,           כי תבוא26:1-29:8
Nitsavim,            ניצבים29:9-30:20
Vayelech,              וילך31:1-31:30
Ha’azinu,             האזינו32:1-32:52
VeZo’t         וזאת הברכה
HaBrachah, 
33:1-34:12

As pessoas que retornaram a Jerusalém se reuniram no Portão das Águas e disseram a Ezdras para trazer uma Torá com ele. O dia foi Rosh Hashaná e Ezdras ensinou Toráh, escrita e oral, a todos - homens, mulheres e crianças. 

Ele ensinou em frente ao Portão das Águas desde o amanhecer até o meio dia. (Porque foi um feriado, eles tiveram que quebrar para participar da refeição do festival, como veremos.) Uma plataforma especial foi construída para a ocasião e Ezdras foi cercado por minyan de pessoas proeminentes. (A Torá é lida apenas publicamente na presença de um minyan - um quórum de dez homens adultos segundo a tradição).
Quando Ezdras leu a Toráh, ele começou abençoando D'us (como nós) e todo o povo respondeu Amén. Eles deram graças a D'us e se curvaram diante dele. Os homens proeminentes e os levitas ensinavam o povo no pátio. 
A Toráh foi lida e então esclarecida para o povo através da sua tradução em aramaico. O povo chorou quando eles perceberam o quanto da Toráh eles tinham negligenciado (ou, possivelmente, quando ouviram que Rosh Hashaná - naquele mesmo dia - era um dia de julgamento), mas seus líderes disseram a eles que não chorassem, pois era um feriado. Em vez disso, eles foram instruídos a comer, beber e compartilhar com os mais necessitados. Então as pessoas saíram para desfrutar de suas refeições e se alegrar.
Por razões além do escopo desta sinopse, Rosh Hashaná é o único Yom Tov (Festival) que dura dois dias em Israel. No segundo dia, os líderes do povo, os sacerdotes e os levitas foram para Ezdras para instrução mais profunda na Toráh. Eles aprenderam sobre o feriado de Chág Sukot (Festa dos Tabernáculos), programado para duas semanas depois. Eles resolveram divulgar isso em toda a terra, já que muitas pessoas ignoravam completamente a Toráh após décadas no exílio. Eles instruíram o povo a construir sukót (cabanas) para as férias, o que eles fizeram. Eles observaram Sukót com uma proximidade espiritual de D'us não sentida desde que Yehoshúa-Josué liderou os judeus em Israel. 

OS DECRETOS DE EZRAS:
Para ser bem sucedido em qualquer frente, o povo judeu tinha que ser reforçado internamente. Como já falamos um pouco disto acima, aqui damos detalhes: uma das primeiras medidas que Ezras fez proclamar um ultimato obrigando todos os homens judeus a se divorciarem de suas esposas não-judias ou pelo menos as mulheres se converter dentro da Halachá ( ao contrário dos movimentos ditos judaicos que buscam e incentivam ”casamentos inter-religiosos” hoje…). Quem se recusasse seria excluído da comunidade. Para a questão da sobrevivência espiritual não poderiam ser aceitos tais casamentos.
Então ele se dirigiu à profanação do Shabat ( coisa hoje quase que ”normalizada”…): Os proprietários de lojas judias tinham, em muitos casos, encontrado falhas legais para realizar seu trabalho no Dia do Descanso. Ezras passou decretos fechando as brechas e proibindo o trabalho no Shabat. Um dos decretos interessantes é que seria proibido lavar roupas pela sexta-feira, mas que devessem lavá-las até a quinta-feira, para que as pessoas erroneamente não colocassem a roupa para secar no entardecer de sexta e assim a roupa secasse durante Shabat ou que elas por engano, as retirasse dos varais e as passassem com ferro quente ou engomassem durante Shabat, profanando assim o Dia. 
Todas as Takanot (decretos) dele, são Halachá, Lei.
Ezras também restabeleceu as leis concernentes à escrita e leitura da Toráh, introduzindo ali os caracteres assírios ou quadrados, a famosa escrita ”Ashurit’‘ que temos hoje, desde Moshé até a época de Ezras, os pergaminhos de Torá eram escritos com o alfabeto Ashurit, mas outros textos e o povo em geral só utilizava o alfabeto Hebraico antigo ( similar ao Fenício), Ezras portanto estabelece somente o alfabeto da Toráh, aparentemente como uma medida polêmica contra os samaritanos (Tratado San’hedrin 21b)
Os Samaritanos haviam criado para eles cópias falsificadas da Toráh com erros propositais para darem um embasamento às suas crenças heréticas, além de se utilizarem do Alfabeto fenício para escrever a Torá. Assim corriam estas cópias heréticas da Toráh e Ezras precisava resolver isto:  
Examinou todas as versões, a ”Hebraica”, original, que haviam anos antes levado para o Exílio da Babilônia e a ”Samaritana”. Também examinou todos os pergaminhos que  continham os Profetas e os Escritos, Neviim e Ketubim), mostrou suas dúvidas sobre a correção de algumas palavras do texto colocando pontos sobre elas aos Sábios: 
”Se Eliahu HaNavi, aprovar o texto, os pontos serão desconsiderados; Se ele desaprovar, as palavras duvidosas serão removidas do texto’ assim  Ezras fez o teste solene com todo o texto do Tanach, com a aprovação de todos os Sábios da Grande Assembléia. 
Assim foi, as palavras dúbias foram milagrosamente removidas do texto e a ”Toráh” Samaritana ficou completamente em branco, provando que não era Divina!!!
Ele foi considerado pelos Sábios o mais importante instrutor da Toráh que já existiu, depois de Moshé ( Berachot 36a). 
No Talmud temos uma lista dos decretos dele:  
Foi ele que ordenou que três homens ( Um ”Cohen”, um ”Levi” e outro ”Israel”) deveriam ler dez versículos da Toráh, 
da Parasháh da semana, no segundo e quinto dias da semana em Shacharit ( Serviço matutino da semana) e durante a tarde em Minchá (Serviço vespertino) de Shabat
Ordenou também que os Tribunais Rabínicos ( Beit-Din) estivessem em sessão às segundas e quintas-feiras. 
Que a mulher se levantasse cedo e fizesse  pão ( Chalot e outros) logo pela manhã, para ter o resto do dia livre para o preparo de Shabat
Que as mulheres devessem usar um cinto, como forma de decência  Que as mulheres deveriam se banhar  antes de imergirem na Mikve ( Banho ritual) e que os Homens também se banhassem na Mikve antes de Shabat e das Festas e quando tivessem relações maritais. (Trat. Bava Ḳama82a)
Ele também ensinou para os kohanim da geração seguinte a pronúncia correta do Nome Divino ( Shem HaMeforash) com todas as permutações dele, que o Kohen Gadol deveria verbalizar durante seu ofício em Yom Kipur no Templo.( Trat. Yomá 69b). 
ele também estabeleceu o ofício e procedimento da proclamação de Rosh Chodesh - Lua Nova, que marca o início do novo mês hebraico e as Festas. ( Trat.Betzá 6a, ver comentários do Rashi)
Em última análise, Ezras e Nehemiáh convocaram o povo para uma renovação do compromisso com a Toráh, que ficou conhecida como “A Aliança de Fé” (Neemias, capítulo 10). 
No dia de Rosh Hashaná do 12º ano dele na Terra Santa, as pessoas se reuniram no pátio exterior do Templo Sagrado e ouviram toda recitação  do Sefer Devarim (Deuteronômio), que descreve todas as leis e ideais da Torá. Todos choraram e arrependeram-se, e concordaram em defender a Toráh desde então, especialmente para observar o Shabat, trazer os dízimos e doações ao Templo e abster-se de casamentos mistos.
Ezras disse que não deveriam chorar e se entristecer, pois o dia era Yom Tov, Festa da Toráh, o início do Novo Ano, mas que devessem voltar aos seus lares, reforçarem os pratos típicos do Feriado com figos, tâmaras, mel…

..................................................................................... רב. יוסף ברוך

Share:

2 comentários:

  1. Muito bom o conhecimento sobre as Parashiót - as porções semanais da Leitura da Toráh.

    ResponderExcluir
  2. Shalom ach muito os estudos vc tem ZAP passa aí pra mim o meu 949270948

    ResponderExcluir

Ultimos Estudos

TSEDACÁ - Um conceito judaico ...

TSEDACÁ - Um conceito judaico - צדקה                 Desde a época do Beit hamikdásh -Templo Sagrado, era visível para os judeus que ...

Curso Zayt - קורס זית

Curso Zayt  - קורס זית
Aprenda Hebraico conosco!

"Honra teu pai e tua mãe."

"Honra teu pai e tua mãe."

Postagens

Seguidores

Total de visualizações

Arquivo do blog

Assista ao Serviço

"Se eu esquecer de ti, ó Jerusalém..."

"Se eu esquecer de ti, ó Jerusalém..."

Refutação ao video - Ieshua NÃO É o Mashiach!

Refutação aos inimigos de Yeshua

Parashá - פרשה

שיעור - Sukót e suas riquezas...

Mensagem - דברי תנ"ך

Rosh Luciano/Mensagem ... דברי תנ"ך

Ele Vive..!!! הוא חי

Ele Vive..!!!   הוא חי
Yeshua o Messias ressuscitou!

Memórias ... זכרונות

אם אין אני לי מי לי
וכשאני לעצמי מה אני
ואם לא עכשו אימתי ... י

"Se eu não for por mim, quem será por mim?
Se eu for só por mim, o que sou eu?
E se não for agora, então quando?
Rabi Hilel - Pirkê Avot 1:14.

Sempre elevados na Tefilá-oração ...

Sempre elevados na Tefilá-oração ...
"Por essa razão, desde o dia em que o ouvimos, não deixamos de orar por vocês e de pedir que sejam cheios do pleno conhecimento da vontade de Deus, com toda a sabedoria e entendimento espiritual." (Colossenses 1:9)